NEWS | Documentário sobre cena cultural da antiga Berlim Ocidental tem Joy Division na trilha sonora

“A cidade murada tornou-se o caldeirão criativo para as culturas subterrânea e pop. Antes da Cortina de Ferro cair, tudo e qualquer coisa pareciam possíveis. B-MOVIE é uma colagem em ritmo acelerado de imagens até hoje inéditas em filme ou na TV de uma época frenética, mas criativa, começando com o punk e terminando com a Love Parade, em uma cidade onde os dias são curtos e as noites são infinitas. Não era sobre sucesso a longo prazo, mas sobre viver o momento – o aqui e o agora”.

586909.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Esta é a breve sinopse do documentário alemão dirigido por Jörg A. Hoppe, Klaus Maeck e Heiko Lange, intitulado, B-Movie: Lust & Sound in West Berlin 1979-1989 (trad.: “Filme B: Luxúria e Som em Berlim Ocidental 1979-1989”). Lançado este mês em vários festivais de cinema europeu (após sua premiére na mostra Panorama no Festival de Berlim, em fevereiro), o filme, que mescla imagens de arquivo com outras reconstituídas, disseca a alma vanguardista da vida boêmia do que outrora foi conhecido como o “lado ocidental” de Berlim (eram os tempos da Guerra Fria, das “duas Alemanhas”, a “Ocidental”, capitalista, e a “Oriental”, comunista), uma síntese de vida noturna (bares, danceterias, “inferninhos” etc), produção musical, moda e artes plásticas, constituindo em um encontro improvável entre as culturas punk e pop. Dessa cena surgiram espaços/clubes que se tornaram lendários, como SO36 (que, em valor histórico e importância, equivale ao CBGB de Nova Iorque). Esse ambiente exótico e criativo atraiu muitos “imigrantes” que vieram absorver um pouco dessa atmosfera: Iggy Pop, David Bowie, Nick Cave e, também, Joy Division e New Order.

O “roteiro” do documentário se baseia nas memórias de um desses imigrantes – no caso, um imigrante para valer mesmo, no sentido estrito. Estamos falando de Mark Reeder, músico, produtor musical e DJ com origem em Manchester (Inglaterra) e que se mudou para Berlim nos anos 1980, tendo se naturalizado alemão logo em seguida. No final da década de 1970, Reeder, ao lado Mick Hucknall (Simply Red), integrou a banda Frantic Elevators; além disso, era amigo pessoal de Bernard Sumner (Joy Division / New Order). Após mudar-se para Berlim, tornou-se representante da Factory Records na Alemanha, formou a banda Shark Vegas (que abriu shows de uma turnê alemã do New Order e teve o single “You Hurt Me” produzido por Sumner) e, mais tarde, criou o selo/gravadora de música eletrônica Mastermind For Success (MFS).

marked_2112_1<Mark Reeder>

A trilha sonora de B-Movie também não poderia ser mais “germânica”, ainda que nem todos os artistas sejam de origem alemã: Einstürzende Neubaten, Edgar Froese (do Tangerine Dream), Die Toten Hosen, Anne Clark (poetisa que declama seus poemas acompanhada de arranjos musicais eletrônicos), Sex Pistols, Nick Cave, Westbam (que já gravou o single “She Wants” com Bernard Sumner) e Joy Division.

Trailler:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s