NEWS | New Order no próximo número da Electronic Sound

issue-29-VINYLO New Order será matéria de capa da próxima edição da revista Electronic Soundque, como o próprio nome sugere, é especializada em música eletrônica. Com texto de Stephen Dalton e fotos de Kevin Cummins, o número deste mês trará também um bate-papo com o vocalista e guitarrista Bernard Sumner sobre o legado da banda e, também, sobre o novo disco ao vivo que também será lançado este mês – NOMC15. Mas não pára por aí: a revista oferecerá um “mimo” para os fãs, um disco promocional white label de 7″, prensado em vinil transparente, com um remix de “Academic” assinado pelo produtor Mark Reeder. No Lado B, haverá uma faixa de autoria do próprio Reeder chamada “Mauerstatd”. O remix de “Academic”, intitulado “Mark Reeder Akademixxx”, já havia aparecido recentemente em Music Complete: Remix EP, um extended play lançado apenas nos formatos digital downloadstreaming; “Mauerstadt”, por sua vez, é conhecida da trilha-sonora do filme B-Movie: Lust and Sound in West Berlin 1979-1989. Em todo caso, se trata de mais um belo item colecionável para saciar a sede de lançamentos dos fãs.

ES29_SPREAD_NEWORDER-copy

 

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | Pílulas (11 de março de 2016)

Trago hoje mais algumas novidades em pequenas doses para os fãs e admiradores do New Order. Desta vez, falaremos do começo da mini-turnê da banda pelos Estados Unidos, de uma exposição, no Rio de Janeiro, de pôsteres originais de bandas pós-punk e new wave (incluindo Joy Division e New Order) e de uma má notícia para os completists. Então vamos lá…

  • O New Order abriu ontem sua turnê de um mês pelos Estados Unidos com uma apresentação em Nova Iorque. O show foi no luxuoso e reverenciado Radio City Music Hall, um ícone da cidade. O concerto surpreendeu em alguns aspectos: em termos visuais, os telões e a iluminação interagiram bem com a arquitetura da sala de espetáculos, proporcionando ao público uma experiência estética talvez inédita em toda carreira do New Order; no que diz respeito à parte musical, além da excelente “Academic”, que foi tocada pela primeira vez (seria uma pista de que esse poderá vir a ser o quarto single saído do álbum Music Complete), “Blue Monday”, clássico dos clássicos, ficou de fora (algo que não acontecia há anos). Fora essas mudanças, o repertório não foge muito daquele que vem sendo tocado desde o começo da turnê de divulgação de Music Complete. Eis o set list completo: Singularity; Ceremony; Academic; Crystal; 5-8-6; Restless; Your Silent Face; Tutti Frutti; People On the High Line; Bizarre Love Triangle; Waiting for the Sirens’Call; Plastic; The Perfect Kiss; True Faith; Temptation; Atmosphere (encore); Love Will Tear Us Apart (encore).
new-order-rcmh2

New Order no Radio City Music Hall, Nova Iorque

  • De um ícone de Nova Iorque para um ícone da Zona Norte Carioca, o bom e velho Cine Imperator, no bairro do Méier, hoje transformado em centro cultural com sala de espetáculos, sala de exposições, cinema e um bistrô (meia boca). Lá está rolando a exposição “80/80: Oitenta Posters dos Anos Oitenta”, uma mostra de pôsteres promocionais originais de bandas de pós-punk e new wave que fazem parte da coleção particular de uma verdadeira entidade da música alternativa no Rio de Janeiro e que teve um papel fundamental na minha “educação musical” e na de muita gente também: o DJ José Roberto Mahr, o criador e apresentador do antológico programa de rádio “Novas Tendências”. A curadoria, isto é, a escolha dos oitenta pôsteres, ficou a cargo de Alessandro Alr, responsável pelo projeto Maldita 3.0 – Rádio Fluminense. Eu estive lá para conferir – e procurar por pôsteres do New Order e do Joy Division. Os encontrei, é claro. Mas encontrei também Siouxsie & The Banshees, The Jesus and Mary Chain, PiL, Front 242, Depeche Mode, Smiths, Talking Heads, Bigod, Nitzer Ebb, The Jam, Echo & The Bunnymen, Cure, Finis Africae, Cocteau Twins e muitos outros. Foi uma volta no tempo. Fãs de A-Ha, Pet Shop Boys e Dire Straits, não se dêem o trabalho de ir, ok?
  • A má notícia é que a edição japonesa do vinil de 12″ do single “Tutti Frutti”, que traria no lado B um remix do Takkyu Ishino, teve seu lançamento adiado em mais alguns dias. A promessa é que ainda saia este mês, mas a nova data, divulgada pela Amazon japonesa aos clientes que o compraram na pré-venda, é dia 30 de março. O jeito, caros colecionadores, é esperar.

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | Faixas de “Music Complete” serão lançadas em novo formato de áudio digital aberto

26290_154Ao que parece, o New Order está mesmo disposto a não ser visto apenas como um grupo de velhos pioneiros da música eletrônica. Antenados com as novas tecnologias, a banda disponibilizou hoje no site Juno Downloads duas faixas do seu último álbum, Music Complete, em um novíssimo formato de áudio digital: o STEMS. Desenvolvido no primeiro semestre deste ano pela Native Instruments, empresa alemã desenvolvedora de hardware e software para produção musical e DJing, trata-se de um formato de áudio multipista na forma de um arquivo digital “aberto”, no qual o registro musical está separado em até quatro segmentos – ou stems. Cada um desses segmentos contem uma “parte” da música: por exemplo, em um deles podemos ter a bateria e/ou todas as partes de percussão, em outro o baixo e as demais harmonias, no terceiro a melodia e, no último, somente a(s) voz(es). Mas isso não é tudo: cada stem pode ser controlado e manipulado de forma independente. Dessa forma, produtores, DJs e fãs podem “mexer” livremente na gravação, o que facilita a criação de remixes, mash-ups, versões a cappella etc.

As faixas escolhidas para serem lançadas no formato STEMS são versões extended de “Tutti Frutti” (segundo single saído de Music Complete) e de “Academic”. O lançamento se deu através de uma parceria entre a Mute Records e a Native Instruments. Segundo Daniel Miller, o fundador e CEO da Mute, “Eu fiquei realmente animado quando ouvi falar pela primeira vez no STEMS e por isso estou contente por termos embarcado nisso com esse lançamento digital exclusivo do New Order. A banda veio do mundo club da década de 1980, então, para eles, lançar um formato que permite que os DJs dos clubs de hoje levem suas faixas para um novo público, ao mesmo tempo que estimula a criatividade deles, é algo grande”. O Juno Downloads está cobrando £1.99 (aproximadamente R$ 11,50) por cada faixa, ou seja, um valor ligeiramente superior à média de seus downloads pagos £0.83 (cerca de R$ 4,80).

É interessante que o lançamento de material “remixável” acessível a todos vai de encontro a algo profetizado pela própria banda em 1993, no documentário New Order: Past, Present and Future, produzido pela MTV Europa (e exibido por aqui na época). Naquela ocasião, Bernard Sumner disse “Hoje em dia a música é uma certa troca entre músicos” (naturalmente, se referindo ao sampling e aos remixes, já bastante populares naquele tempo); em seguida, Stephen Morris arrematou: “no futuro as pessoas poderão remixar os próprios discos e tirar as partes de que não gosta”. Para provar que tudo isso não ficou apenas na base das frases de efeito, em 2005, época do álbum Waiting for the Sirens’ Call, na versão enhanced CD do single “Jetstream” foi incluído um software chamado U-Myx que permitia que o usuário fizesse seu próprio remix a partir da versão radio edit da faixa. Pelo visto, os atuais lançamentos no formato STEMS representam o passo seguinte da “profecia” de Morris.

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram