REVIEW | Avaliamos a caixa “B-Box: Lust & Sound In West Berlin”

asset

Unboxing the B-Box

Fazia um bom tempo que não se publicava aqui no blog um video review, mas o lançamento da caixa B-Box, um item luxuoso (e de tiragem limitada) que propõe uma verdadeira imersão no universo do fime/documentário B-Movie: Lust & Sound in West Berlin 1978-1989, parecia ser um ótimo motivo para ficar em frente a câmera e apertar o “REC”. Dirigido por Jörg A. Hoppe, Klaus Maeck, Heiko Lange e Miriam Dehne, o filme é um registro do cenário musical e cultural de vanguarda da antiga Berlim Ocidental ao longo da década de 1980 e que procura revelar o que despertou o fascínio de gente como David Bowie, Iggy Pop ou Nick Cave, que gravaram trabalhos importantes e inspiradores enquanto estiveram por aquelas bandas, como LowThe IdiotTender Prey. O filme foi construído a partir do que foi capturado pela câmera de Mark Reeder, músico e produtor que deixou Manchester (Inglaterra) em 1978 para ir a Berlim encontrar seus ídolos do krautrock (como Edgar Froese, do Tangerine Dream) e que por lá acabou ficando. Além de se tornar o representante da Factory Records na então Alemanha Ocidental, tornando-se doravante o responsável por divulgar o Joy Division e o A Certain Ratio, Reeder trabalhou com nomes locais como Blixa Bargeld (Einstürzende Neubauten, Nick Cave & The Bad Seeds),  Die Toten Hosen e Malaria!, e teve suas próprias bandas (Die Unbekannten e Shark Vegas). A caixa é uma experiência completa através de diferentes mídias: o filme, a trilha sonora, livro… Maiores detalhes no vídeo e, também, na galeria de fotos. Já sobre a relação entre Reeder/B-Movie e o Joy Division ou o New Order, é só dar uma conferida em um post que fizemos anteriormente.



Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | Pílulas: “Singularity” chegou ao topo das paradas e fãs poderão produzir o próximo clipe do New Order

Neste post trazemos, uma vez mais, notícias frescas relacionadas ao New Order em pequenas doses para deixar os leitores do blog por dentro de tudo o que envolve a nossa banda favorita. Deixemos de lado os preâmbulos e vamos logo às boas novas…

  • Se o quarto lugar de “Tutti Frutti” na parada britânica de singles físicos já tinha sido um excelente resultado, o desempenho de “Singularity” foi ainda melhor. O terceiro single saído do álbum Music Complete chegou ao topo da UK Physical Singles Chart (lembrando que, atualmente, a parada britânica se divide em outros formatos “não físicos”, como o digital download e o streaming, além de haver também a “parada geral”, que congrega todos os formatos). “Singularity” derrubou do primeiro lugar o novo single dos Pet Shop Boys, “The Pop Kids”. O guitarrista e tecladista Phil Cunningham fez questão de comemorar o feito em seu Twitter.
0UKPhysycalChart

“Singularity” no topo da UK Physical Singles Charts

  • E já que o assunto é “Singularity”… Acaba de sair na Alemanha, em DVD e Blu-Ray, o filme meio documentário / meio reconstituição B-Movie: Lust and Sound in West Berlin 1978-1989 (o clipe de “Singularity” é uma colagem de cenas extraídas do filme). Junto com B-Movie foram lançados um livro – B-Book – e a trilha-sonora do filme – B-Music -, que traz nomes como Westbam, Richard Butler (Psychedelic Furs, Love Spit Love), Die Toten Hosen, Mark Reeder / Shark Vegas, Edgard Froese (do Tangerine Dream, falecido no ano passado), Iggy Pop e Joy Division, este com uma versão reconstructed de “Komakino”. Ou, se preferir, é possível optar por uma caixa, B-Movie: Gesamtbox, com o filme (DVD + Blu-Ray), a trilha-sonora (LP + CD duplos), o livro (brochura) e mais alguns “mimos” como uma bolsa, uma palheta, um abridor de garrafas, um bottom badge e três prints. O filme tem duas opções de idioma, alemão e inglês, e legendas apenas em francês; nos extras, há uma entrevista com Bernard Sumner, guitarrista e membro fundador do Joy Division e do New Order.
081l0NTFjMYL._SL1500_

B-Movie para todos os gostos!

  • E como falamos em clipe… O New Order fez um convite inusitado para os fãs. Foi aberto um concurso para o vídeo promocional do que virá a ser o quarto (e, talvez, o último) single do álbum Music Complete, que será “People on the High Line” (outra faixa com a participação de Elly “La Roux” Jackson). O prêmio para o(s) criador(es) do clipe escolhido será de US$ 8.000! No site http://genero.tv/neworder os interessados poderão conferir requisitos, regras e, naturalmente, baixar a versão “Radio Edit” gratuitamente para usar na criação do vídeo. Essa é uma iniciativa muito interessante. No You Tube ou no Vimeo é possível conferir fan made videos de canções do New Order, como “Mr. Disco”, “Primitive Notion” (que não possuem vídeos promocionais) e até mesmo “Tutti Frutti” (que possui um clipe oficial).

NEW ORDER ~ Tutti Frutti [Fan Video] from sound.TV on Vimeo.

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

MEMÓRIA | “Academy”: um tesouro em VHS

academyfrontSe não fosse por um único item, a videografia oficial do New Order já teria sido relançada por completo em formato digital. Seus vídeos promocionais, popularmente conhecidos como “videoclipes”, foram todos reunidos no DVD A Collection, de 2005; o documentário New Order Story, dirigido para a TV por Paul Morley e laçando em VHS em 1993, também foi relançado vídeo digital (inclusive, chegou a ser vendido junto com A Collection em um box-set chamado Item); já os shows contidos nos títulos Taras Schevchenko (ao vivo no Ukrainian National Home, Nova Iorque, no dia 18 de novembro de 1981) e Pumped Full of Drugs (ao vivo no Shinjuku Kosei Nenkin Hall, Tóquio, em 02 de maio de 1985), foram relançados, respectivamente, como parte dos special features do DVD 3 16 (de 2001) e como item de catálogo exclusivamente no Japão pela Nippon Columbia.

Quem ficou de fora da lista de velhos videotapes transformados em discos digitais de vídeo foi o Academy. O home video foi lançado em 1989 pela Palace / Polygram, mas mostra o New Order tocando ao vivo em um show no Brixton Academy gravado no dia 04 de abril de 1987. Não se tratava de um show qualquer – era um concerto em apoio ao Dia Internacional da Aids. Além do New Order, se apresentou também no palco do Brixton Academy naquele mesmo dia uma outra banda de synthpop inglesa chamada Bronski Beat, que era formada apenas por integrantes gays. Enfim, até hoje desconheço qualquer explicação do por que desse VHS até hoje não ter sido relançado oficialmente em formato digital. O fato é que antes dele virar torrent ou cair no You Tube, ele circulava na base de cópias em DVD-R clandestinas/piratas entre frequentadores do fórum Thieves Like Us do Dry 201 Message Pub.

O interessante é que esse é um show do New Order clássico e da “Era Factory” que valeria a pena ser oficialmente relançado. Vejam bem, não que os outros não valessem, mas esse concerto no Brixton Academy é o único dos três lançados em VHS na década de 1980 que captura o New Order já no auge da carreira e não mais como uma cult band. Além disso, Academy também contrasta com Taras Schevchenko e com Pumped Full of Drugs no que diz respeito à reação do público – enquanto nos shows em Nova Iorque e em Tóquio o que se vê são plateias estáticas e silenciosas, a apresentação de 1987 possui uma vibe diferente, com uma audiência que pula e pulsa junto com o som que vem do palco.

academy2frontO show em si mesmo não chega a ser essa Coca-Cola toda não. É apenas ok. As versões ao vivo de “Bizarre Love Triangle”, “The Perfect Kiss”, “Age of Consent” e “Temptation”, que representam os pontos altos, são praticamente idênticas às do disco BBC Radio One: Live in Concert, de 1992 (mas que traz o registro do New Order tocando no festival de Glastonbury em 1987, dois meses depois dessa apresentação no Brixton Academy). “Love Vigilantes” e “Confusion” ainda soam melhores nas versões apresentadas em Pumped Full of Drugs (apesar da “bundamolice” por parte da plateia); “Ceremony” aparece aqui em uma versão cheia de erros, o tipo de coisa que não podia faltar (pelo menos não naquela época) em nenhum show do New Order; e “Dreams Never End”, em uma furiosa e ao mesmo tempo sublime versão (de longe superior à de Taras Schevchenko), foi, infelizmente, mutilada pela inserção de trechos de entrevistas com Peter Hook e Stephen Morris.

Estranhamente, “Touched by the Hand of God”, a música que abriu o show, foi a única que ficou de fora da edição final, sabe-se lá o por que. Não seria uma má ideia, caso algum dia se resolva relançar o Academy em DVD (afinal sonhar não custa nada), que a performance de “Touched…” seja recuperada. Por outro lado, não deixa de ser louvável a iniciativa de fãs geek que, nos primórdios da popularização do vídeo digital, converteram uma antiga (e em boas condições) cópia em VHS em uma versão digitalizada, caso contrário não teríamos a chance, na ausência de um lançamento oficial, de curtirmos esse registro histórico pelo You Tube, por exemplo.

Ainda me lembro de uma ocasião, bem lá no comecinho da década de 1990, em que o Centro Cultural Cândido Mendes, na Rua Joana Angélica, em Ipanema, fez uma sessão dupla de exibição de Pumped Full of Drugs e Academy em um domingo. Naquela época eu ainda não havia assistido a nenhum dos dois, não somente porque minha família, castigada pela crise financeira que assolava o país, não tinha videocassete, como também porque os dois títulos não tinham sido lançados no Brasil, de modo que não figuravam no catálogo das locadoras. Mas também não foi daquela vez que eu pude ver os dois home videos pela primeira vez: menor de idade e sem companhia para ir até Ipanema, fui totalmente desautorizado pelos meus pais a me aventurar sozinho por aquelas bandas…


New Order, Brixton Academy, April 1987 (Palace Video Ltd. / Polygram Home Video, 1989): Bizarre Love Triangle, The Perfect Kiss, Ceremony, Dreams Never End, Love Vigilantes, Confusion, Age of Consent, Temptation. Running time: 51 min. aprox.