NEWS | Stephen Morris em documentário sobre ex-baterista do Kraftwerk e do Neu!

klaus_dinger_drums_wolfgang_v_groote

Klaus Dinger: um dos heróis de Stephen Morris

Stephen Morris, a “bateria eletrônica humana” do New Order, é um dos grandes nomes do pop que concederam depoimentos para o documentário The Heart is a Drum, dirigido pelo sueco Jacob Frössén. O filme conta história de Klaus Dinger, cultuado baterista alemão que ficou conhecido como uma das metades do duo Neu! (seu parceiro era o guitarrista Michael Rother) na década de 1970 e que faleceu em 2008. Antes de lançar três álbuns essenciais com o Neu! (existe um quarto LP de estúdio, mas isso é outra história), Dinger havia feito parte do Kraftwerk quando o grupo ainda não era a usina de força eletrônica que veio a se tornar depois. Com o fim do Neu!, Klaus formou o La Düsseldorf com seu irmão, Thomas Dinger, e com Hans Lampe, chegando a conquistar um respeitável sucesso comercial na Europa.

Dinger tornou-se famoso por seu estilo repetitivo e pulsante de tocar bateria, um estilo que ficou conhecido como motorik (termo que não agradava ao baterista, que preferia rotular sua maneira de tocar como Apache beat). Sua batida e o som visionário do Neu! (cuja influência se faz notar em bandas como Joy Division, Sonic Youth e até mesmo Radiohead) chamaram a atenção de medalhões como David Bowie e Iggy Pop (que também aparece no documentário) quando os dois estiveram em Berlim nos anos setenta. Stephen Morris em diversas ocasiões afirmou que se inspirou não apenas na bateria de Dinger, mas também na de outro medalhão do gênero que ficou conhecido como krautrock: Jaki Liebezeit, do Can (morto em 2017). Além dele (Morris) e de Iggy Pop, estrelam The Heart is a Drum o cantor Bob Gillespie (Primal Scream), a baixista Kim Gordon (Sonic Youth) e Wolfgang Flür (ex-Kraftwerk).

 

58453867_118392062455813_6469511588047828873_n

Poster de The Heart is a Drum

De acordo com o diretor: “No final dos anos noventa eu li uma entrevista do Klaus Dinger em uma revista na qual ele falou à respeito de uma namorada sueca que ele conheceu em 1971 e com quem havia passado férias na Suécia no verão daquele mesmo ano. Nessa entrevista, ele também falou à respeito de sua relação com a bateria e, uma vez que eu também sou baterista, acabei ficando bastante intrigado. Eu acredito que isso é uma conexão com a Suécia e o fato dele ter ido até um lago perto de Södertälje – um lugar onde eu passei minhas férias muitas vezes – para gravar os sons aquáticos de ‘Lieber Honig’ e ‘Im Glück’ [canções do álbum de estreia do Neu!] me deixou fascinado”. 

Em entrevista concedida a Mike Norton em julho deste ano para o jornal Bristol Live, Stephen Morris foi perguntado sobre quem seria seu baterista favorito. E ele assim respondeu: “Klaus Dinger, do Neu!. Ele foi minha maior influência, com suas poucas viradas de bateria. Neu! foi uma das primeiras bandas que eu ouvi e que me fez pensar que eu podia tocar daquele jeito”.

Sem Título

Stephen Morris em The Heart is a Drum: herdeiro do estilo motorik

The Heart is a Drum teve hoje uma premiére no Reino Unido em uma das salas de cinema do Barbican, um descolado centro cultural em Londres. Produzido pela Swedish National Television (SNT) e financiado pela The Malik Bendjelloul Memorial Foundation, o documentário pode ser visto no You Tube (com áudio em alemão e sem legendas), porém com um outro (e um tanto quanto exótico) título: Klaus Dinger – Urvater des Techno (trad.: “Klaus Dinger, o Padrinho do Techno”). Se você curte Joy Division e New Order e nunca ouviu o Neu!, eu pergunto: tá esperando o que?

Infelizmente, não há indícios de que o filme virá a ser exibido no Brasil…

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

REVIEW | Avaliamos a caixa “B-Box: Lust & Sound In West Berlin”

asset

Unboxing the B-Box

Fazia um bom tempo que não se publicava aqui no blog um video review, mas o lançamento da caixa B-Box, um item luxuoso (e de tiragem limitada) que propõe uma verdadeira imersão no universo do fime/documentário B-Movie: Lust & Sound in West Berlin 1978-1989, parecia ser um ótimo motivo para ficar em frente a câmera e apertar o “REC”. Dirigido por Jörg A. Hoppe, Klaus Maeck, Heiko Lange e Miriam Dehne, o filme é um registro do cenário musical e cultural de vanguarda da antiga Berlim Ocidental ao longo da década de 1980 e que procura revelar o que despertou o fascínio de gente como David Bowie, Iggy Pop ou Nick Cave, que gravaram trabalhos importantes e inspiradores enquanto estiveram por aquelas bandas, como LowThe IdiotTender Prey. O filme foi construído a partir do que foi capturado pela câmera de Mark Reeder, músico e produtor que deixou Manchester (Inglaterra) em 1978 para ir a Berlim encontrar seus ídolos do krautrock (como Edgar Froese, do Tangerine Dream) e que por lá acabou ficando. Além de se tornar o representante da Factory Records na então Alemanha Ocidental, tornando-se doravante o responsável por divulgar o Joy Division e o A Certain Ratio, Reeder trabalhou com nomes locais como Blixa Bargeld (Einstürzende Neubauten, Nick Cave & The Bad Seeds),  Die Toten Hosen e Malaria!, e teve suas próprias bandas (Die Unbekannten e Shark Vegas). A caixa é uma experiência completa através de diferentes mídias: o filme, a trilha sonora, livro… Maiores detalhes no vídeo e, também, na galeria de fotos. Já sobre a relação entre Reeder/B-Movie e o Joy Division ou o New Order, é só dar uma conferida em um post que fizemos anteriormente.



Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | Uma semana cheia de New Order

coverArtEssa semana deixará os fãs do New Order de orelha em pé. Começando por esta terça feira, o programa Radcliffe & Maconie Show, da BBC Radio 6, e o The Guardian, divulgaram novos detalhes sobre o próximo álbum da banda, Music Complete. O disco tem a participação de convidados: Elly Jackson, vocalista do La Roux, fez os vocais de apoio em três faixas (“Plastic”, “Tutti Frutti” e “People on the High Line”); Brandon Flowers, do The Killers, e fã assumido do New Order, aparecerá em “Superheated”, que também é co-produzida por Stuart Price; a cereja do bolo é Iggy Pop, que participou de “Stray Dog”.

Mas não fica por aí. Hoje a banda soltou mais um sample de uma das faixas do novo álbum (mais curto dessa vez: apenas 15 segundos), conforme o vídeo no final deste post, e divulgou uma microtour europeia que se estenderá ao longo do mês de novembro, passando por Paris, Bruxelas e diversas cidades da Inglaterra. Em dezembro será a vez de tocarem “em casa” (Manchester). Além disso, amanhã o baterista Stephen Morris será o convidado/entrevistado do Radcliffe & Maconie Show, no qual deverá dar mais detalhes sobre Music Complete. E no domingo, dia 12 de julho, a Radio 6 trará para os ouvintes um programa sobre o seminal LP Power, Corruption and Lies, eleito o “O Álbum do Dia” pela emissora, e trará depoimentos do ex-baixista Peter Hook, do designer Peter Saville e de músicos Martin Moscrop – de A Certain Ratio – e Tim Burgess – do The Charlatans.

TOUR DATES:

4 Nov – Paris, Casino de Paris
6 Nov – Brussels, Ancienne Belgique
8 Nov – Stockholm, Annexet
11 Nov – Berlin, Tempodrom
16 Nov – London, Brixton Academy
19 Nov – Glasgow, Academy
21 Nov – Liverpool, Olympia
24 Nov – Wolverhampton, Civic Hall

5 Dec – Manchester *watch press for details
6 Dec – Manchester *watch press for details