NEWS | “Sucessor” de “Music Complete” está a caminho

x-factor-hate-bernard-sumner-590x350

Sumner fala à “Salon” sobre o sucessor de “Music Complete”

Em entrevista dada ao site Salon e publicada ontem (22/03), o vocalista e guitarrista do New Order, Bernard Sumner, revelou ao repórter Mike Doherty que o “sucessor” do último álbum, Music Complete, lançado em setembro do ano passado, está no forno e prestes a ser lançado. Nas suas próprias palavras: “Se eu puder mencionar, gostaria de dizer que há um álbum para sair chamado Complete Music; são versões retrabalhadas e estendidas das faixas de Music Complete e deve ser lançado em breve, mas não estou certo quando. Nós enviamos as músicas para diferentes mixers e então eles as decompuseram e as rearranjaram, e depois nos mandaram de volta, então é como se fosse um outro take do álbum original”.

Quando perguntado sobre quem estaria por trás dos remixes, Sumner deu a seguinte reposta: “Eh, eu não sei se posso adiantar isso agora. Eu tenho que falar com o Daniel Miller [chefe da Mute Records], mas são apenas duas pessoas. O que é bom. Nós enviávamos uma faixa para o mixer, depois ele nos devolvia e fazia sugestões; nós mandávamos de volta e jogávamos esse jogo de tênis pela internet com as músicas. Algumas delas ficaram radicalmente diferentes, mas ao contrário de um remixer que compõe uma música totalmente nova, eles usaram a música que já tínhamos feito para as canções e a distorceram de uma forma muito interessante”.

Não deixa de ser uma manobra comercialmente arriscada para um disco que conquistou tão facilmente público e crítica, ainda mais se considerarmos que o álbum inteiro já havia ganho versões “retrabalhadas” e “extendidas” para a sua edição Deluxe Vinyl Box Set.

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | New Order publica vídeo misterioso em seu Instagram

Hoje o New Order deixou seus fãs em estado de alerta. Às 16h (horário de Brasília) a banda publicou em sua conta no Instagram um misterioso vídeo de apenas seis segundos que mostra o que parece ser parte ou o detalhe de um filme de animação feito com o nome “New Order” acompanhado de um pequeno tema instrumental. O vídeo também foi compartilhado na página oficial do grupo no Facebook. A banda não se pronunciou oficialmente sobre o vídeo (o site oficial sequer menciona qualquer coisa a respeito). E o silêncio pode ser proposital: é provável que estejamos diante dos primeiros vislumbres da campanha de promoção / divulgação do próximo álbum do New Order, que está na ponta do laço para sair.

Sagaz foi o comentário do internauta Brian McGee no Facebook: “Hilarious that this is uploaded with no description, comment or anything. Very New Order” (trad.: O engraçado é que isso foi postado sem nenhuma descrição, comentário ou qualquer coisa. Bem New Order.). É isso aí, Brian!

NOTÍCIAS | Vocalista do Killers pode estar no próximo álbum do New Order

tumblr_nen4x5eHHM1rt9hvyo1_500 (1)A notícia se espalhou rapidamente hoje pela internet. Por ocasião do lançamento do seu segundo álbum solo, The Desire Effect, Brandon Flowers, vocalista da banda norteamericana The Killers, concedeu uma entrevista ao jornalista Craig McLean, publicada hoje no site do jornal The Independent, na qual daria a entender que participaria, ou teria participado, de uma música nova do New Order. Flowers tocou nesse assunto quando foi perguntado por McLean a respeito de uma suposta participação no novo álbum do Duran Duran, cujo lançamento está previsto para coincidir com o dos seus contemporâneos lá de Manchester. O site Gigwise pegou carona no The Independent e, prudentemente, pôs o seguinte subtítulo em sua manchete sobre o novo disco do frontman dos Killers: “Ele talvez estará também no próximo disco do New Order”. Já o New Musical Express foi categórico e disse “No entanto, o NME pode afirmar que Flowers trabalhou com o New Order”, dando toda a certeza de que o décimo álbum de estúdio da banda contará com o ilustre fã como convidado especial. A seguir, o trecho da entrevista com McLean:

Assim como sua ambição, a “anglofilia” de Flowers não conhece limites. Houve rumores de que ele apareceria no novo álbum do Duran Duran, produzido por Mark Ronson, mas ele se contorce quando menciono isso. “Não… Quer dizer… Bem, eu devo estar em uma nova música do New Order”, diz ele afinal. “Então, isso é legal”, ele sorri, muito satisfeito, até porque The Killers tomou seu nome de uma banda fictícia no vídeo do single “Crystal” do conjunto de Manchester. “Mas isso vai ser complicado com a gravadora… Definitivamente eu não serei capaz de estar em ambos os discos”. Se ele pudesse dar um jeito, que se dane a política: Flowers facilmente compartilharia o microfone com Bernard Sumner e com Simon Le Bon. Ele faria qualquer coisa para colaborar com as pessoas que ele cresceu amando.

Pelo menos no palco, Brandon Flowers e Bernard Sumner já dividiram o microfone. A primeira vez foi no festival T in the Park, na Escócia, em 2005, quando Flowers subiu no tablado durante a apresentação do New Order. Aconteceu de novo em 2013, no festival Stereo Picnic, em Bogotá, Colômbia. A situação se inverteu, com Sumner subindo no palco dos Killers, na MEN Arena, em Manchester, também em 2013. Nas três ocasiões, a canção da dobradinha era (obviamente) “Crystal”. Além disso, se for mesmo verdadeira essa história de que o novo álbum do New Order terá uma faixa com participação especial de Flowers, a banda então dará sequência a um hábito iniciado em 2001, com Get Ready, quanto contaram com uma forcinha de Billy Corgan (Smashing Pumpkins, e que inclusive saiu em turnê com o grupo) e da dupla Bobby Gillespie e Andrew Innes (Primal Scream). Quatro anos depois, com Waiting for the Sirens’ Call, gravaram “Jetstream” com Ana Matronic (Scissor Sisters).

IMPRENSA | Bernard Sumner fala sobre a gravação do novo álbum do New Order na MOJO

No comecinho deste ano, a revista MOJO também publicou uma matéria, assinada por Ian Harrison, falando das gravações do que virá a ser o décimo álbum de estúdio do New Order (sem título definido ainda), e o primeiro sem o idolatrado baixista Peter Hook. Trata-se, na verdade, de uma entrevista com Bernard Sumner incluída no editorial “15FOR2015”, que lista os quinze principais acontecimentos ou lançamentos esperados para este ano. O disco do New Order figurou a posição número 2. De interessante, ficamos sabendo que o engenheiro de som Craig Silvey, que trabalhou com Arctic Monkeys (Suck It and See), Arcade Fire (The Suburbs e Reflektor), The National (Trouble Will Find Me), Nine Inch Nails (“Closer to God”, single) e Portishead (Third), também está envolvido no projeto. A seguir, disponibilizamos uma tradução da matéria.


15FOR2015
#2: NEW ORDER
A banda mais célebre de Manchester combate uma tábua de passar roupa, alista um Chemical Brother e volta com uma música nova após uma década.

IMG-20150122-WA0006

Quando MOJO procurou pelo líder do New Order, Bernard Sumner, ele revelou que uma tábua de passar roupa havia acabado de cair sobre sua cabeça. Mas mesmo isso não pôs fim ao seu entusiasmo depois de tocar o primeiro mix de uma música nova – “Restless” – na noite anterior, feita com o engenheiro de som do Arcade Fire e do Arctic Monkeys, Craig Silvey. “Foi simplesmente do caralho! Realmente excitante, uma experiência emocionante”, diz ele. “É um pouco do que eu gosto – fazer algo criativo, começando do nada”.

Após três anos trabalhando ao vivo, a reformada banda agora está preenchendo esse vazio do nada com oito novas faixas e mais ainda por vir para o seu décimo álbum. As músicas começaram a tomar forma em janeiro de 2014: bateria, baixo e guitarra são gravadas no estúdio caseiro do percussionista Stephen Morris, em Macclesfield; vocais, programações e sintetizadores são adicionados nas instalações de Sumner, ao sul de Manchester.

“Quando temos uma faixa que é realmente inspiradora, dá bastante trabalho”, explica ele, acrescentando que a escuridão do inverno inglês o deixa mais produtivo, escrevendo em uma mesa voltada para uma parede para ter o mínimo de distração. “São as minhas impressões a partir da música que dão origem à primeira linha das letras, depois a segunda e assim por diante. Mas tenho que admitir que o processo de escrita tem sido fragmentado e sem sentido, realmente mais difícil do que sair em turnê”.

A banda irá produzir as canções finalizadas, incluindo “Unlearn This Hatred” e uma outra, cujo título provisório é “Tutti Frutti”, além de duas faixas supervisionadas por Tom Rowlands, dos Chemical Brothers. “Nós sempre contratamos produtores por duas razões”, diz Sumner, “porque nós os respeitamos e porque eles acrescentam algo a uma faixa, além de tirarem fora toda a merda e de serem políticos”. Os relatos de que seriam produzidos por James Murphy foram, diz ele, um mal entendido em uma entrevista on line quando a banda na verdade estava se referindo à sua assinatura de contrato com a gravadora Mute.

Educadamente, mas com firmeza, Bernard diz não querer chamar a atenção sobre possíveis temas (“liricamente, eu sou um impressionista, você deixa a pessoa escutar e fazer o resto, então ela se torna parte do processo”), mas confirma que o baixo de algumas músicas soa familiar, como no material altigo da banda. “Sim, há um pouco disso. Eu não quero menosprezar essa pessoa [ele está se referindo ao ex-baixista do New Order, Peter Hook], mas muita gente sabe tocar baixo. [O álbum] consiste em uma série de elementos, alguns eletrônicos, alguns acústicos, alguma mistura, como o Arcade Fire faz. O New Order é uma banda híbrida”.

Ele espera que o álbum saia na Primavera. “É um renascimento?”, ele pergunta. “É como se fossemos revelar nossa nova direção e fazermos nossa odisseia jazz? Não. Mas nos sentimos revitalizados, pelos shows terem ido tão bem e pela atmosfera positiva na banda. Acho isso perfeitamente natural neste momento. O contrato com a Mute é de apenas um álbum, não quisemos assinar com nosso sangue porque queríamos ver como iria funcionar e como o trabalho vai progredir em estúdio. Se nós gostarmos, haverá mais LPs, com certeza”.

Ian Harrison