NEWS | Pílulas: “Singularity” chegou ao topo das paradas e fãs poderão produzir o próximo clipe do New Order

Neste post trazemos, uma vez mais, notícias frescas relacionadas ao New Order em pequenas doses para deixar os leitores do blog por dentro de tudo o que envolve a nossa banda favorita. Deixemos de lado os preâmbulos e vamos logo às boas novas…

  • Se o quarto lugar de “Tutti Frutti” na parada britânica de singles físicos já tinha sido um excelente resultado, o desempenho de “Singularity” foi ainda melhor. O terceiro single saído do álbum Music Complete chegou ao topo da UK Physical Singles Chart (lembrando que, atualmente, a parada britânica se divide em outros formatos “não físicos”, como o digital download e o streaming, além de haver também a “parada geral”, que congrega todos os formatos). “Singularity” derrubou do primeiro lugar o novo single dos Pet Shop Boys, “The Pop Kids”. O guitarrista e tecladista Phil Cunningham fez questão de comemorar o feito em seu Twitter.
0UKPhysycalChart

“Singularity” no topo da UK Physical Singles Charts

  • E já que o assunto é “Singularity”… Acaba de sair na Alemanha, em DVD e Blu-Ray, o filme meio documentário / meio reconstituição B-Movie: Lust and Sound in West Berlin 1978-1989 (o clipe de “Singularity” é uma colagem de cenas extraídas do filme). Junto com B-Movie foram lançados um livro – B-Book – e a trilha-sonora do filme – B-Music -, que traz nomes como Westbam, Richard Butler (Psychedelic Furs, Love Spit Love), Die Toten Hosen, Mark Reeder / Shark Vegas, Edgard Froese (do Tangerine Dream, falecido no ano passado), Iggy Pop e Joy Division, este com uma versão reconstructed de “Komakino”. Ou, se preferir, é possível optar por uma caixa, B-Movie: Gesamtbox, com o filme (DVD + Blu-Ray), a trilha-sonora (LP + CD duplos), o livro (brochura) e mais alguns “mimos” como uma bolsa, uma palheta, um abridor de garrafas, um bottom badge e três prints. O filme tem duas opções de idioma, alemão e inglês, e legendas apenas em francês; nos extras, há uma entrevista com Bernard Sumner, guitarrista e membro fundador do Joy Division e do New Order.
081l0NTFjMYL._SL1500_

B-Movie para todos os gostos!

  • E como falamos em clipe… O New Order fez um convite inusitado para os fãs. Foi aberto um concurso para o vídeo promocional do que virá a ser o quarto (e, talvez, o último) single do álbum Music Complete, que será “People on the High Line” (outra faixa com a participação de Elly “La Roux” Jackson). O prêmio para o(s) criador(es) do clipe escolhido será de US$ 8.000! No site http://genero.tv/neworder os interessados poderão conferir requisitos, regras e, naturalmente, baixar a versão “Radio Edit” gratuitamente para usar na criação do vídeo. Essa é uma iniciativa muito interessante. No You Tube ou no Vimeo é possível conferir fan made videos de canções do New Order, como “Mr. Disco”, “Primitive Notion” (que não possuem vídeos promocionais) e até mesmo “Tutti Frutti” (que possui um clipe oficial).

NEW ORDER ~ Tutti Frutti [Fan Video] from sound.TV on Vimeo.

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

REVIEW | “Singularity” (single)

CeUye1EUIAAtoTA“Singularity” foi a primeira faixa do material que a banda estava escrevendo para o álbum Music Complete a ser apresentada publicamente. Isso aconteceu ao vivo, no dia 30 de março de 2014, em Santiago, no palco Playstation, enquanto encerravam a segunda noite da edição chilena do festival Lollapalooza com o Soundgarden (que estava em outro palco). Eu estava lá – e mal podia acreditar que, pela primeira vez, pude assistir o début de uma música antes mesmo dela ser lançada. Me recordo de, no dia seguinte, ter encontrado o vocalista e guitarrista Bernard Sumner no aeroporto Arturo Merino Benítez, quando a banda estava para embarcar em um voo a caminho da Argentina, e de ter dito a ele de que eu havia gostado muito da “música nova” (o que era a mais absoluta verdade, ainda que o som do show em Santiago estivesse muito ruim). Barney, que estava autografando meus encartes dos CDs Singles e Live at Bestival 2012, levantou a cabeça, arregalou os olhos, abriu um largo sorriso de satisfação e disse, com toda a simplicidade que há no mundo: “Yeah, que bom que você gostou!”.

Por causa da foto de um set list de ajuste entre iluminação e BPMs (batidas por minuto) que caiu na internet, instantaneamente a música ficou conhecida como “Drop the Guitar” – um título, alías, com toda pinta de provisório. Mas a banda não demorou muito para divulgar, em seu próprio site oficial, que seu nome verdadeiro era “Singularity”. No final de semana seguinte, em São Paulo (Autódromo de Interlagos), Bernard Sumner pegou o microfone e encerrou de vez a história antes de tocá-la novamente: “Esta se chama ‘Singularity’ e não ‘Drop the Guitar’, como andam dizendo por aí. Procurem na Wikipedia!”.

Da primeira apresentação ao público, em março de 2014, ao seu lançamento como single, em março de 2016, se passaram dois anos. De lá para cá, “Singularity” assumiu uma posição alta no repertório da banda: além de ter derrubado “Crystal” do posto de opener dos shows, ela é hoje uma das músicas de Music Complete que os fãs mais gostam. Recentemente, a banda apresentou uma versão ao vivo irrepreensível no The Late Show with Stephen Colbert que ganhou destaque no site da revista Rolling Stone. Todavia, como single, “Singularity” recebeu da atual gravadora da banda, a Mute Records de Daniel Miller, o mesmo tratamento dos dois anteriores, “Restless” e “Tutti Frutti”: primeiro saiu uma versão editada disponível no formato digital single download, seguido da divulgação do vídeo promocional e do áudio de um ou dois remixes no canal oficial da banda no You Tube, até que, finalmente, vieram os lançamentos em formatos físicos (CD e clear vinyl de 12″ colorido).

“Singularity” não traz nenhum lado B, somente remixes (os últimos singles do New Order a trazerem b-sides foram “Here to Stay” e o re-issue de “World in Motion”, ambos em 2002). Se no passado um remix costumava ser, via de regra, apenas um rearranjo dos elementos originalmente contidos na versão oficial, hoje em dia é uma autêntica reinterpretação, uma faixa “nova” construída a partir de alguns pedaços – samples – da canção original. Nesse terceiro single de Music Complete, o New Order recrutou para o seu time de colaboradores gente como Steve Dub, Erol Alkan, Mark Reeder, J. S. Zeiter e a banda Liars.

Pessoalmente, apesar de gostar muito de “Singularity”, sempre tive a impressão de que não era uma música lá muito fácil de se remixar. Opinião compartilhada, aliás, por um dos remixers escalados para essa empreitada (Mark Reeder). O engenheiro de som Craig Silvey, por exemplo, errou a mão na hora de passar a tesoura na gravação original para criar a versão “Single Edit”. Não que a culpa fosse dele – mas eu acho muito difícil encontrar pontos apropriados na faixa onde se pode fazer uma edição sem que a intervenção cirúrgica não pareça muito evidente. O mesmo já não se pode dizer da versão estendida. O DJ californiano Steve Dub ficou com o trabalho mais fácil – alongar a música em vez de encurtá-la – e se deu melhor. Seu “Extended Mix” é o mesmo que foi incluído na edição Deluxe Vinyl Box Set de Music Complete e o resultado final não é menos que magnífico.

O produtor musical e DJ Erol Alkan é, sem sombra de dúvida, um dos nomes badalados dentre os escolhidos para turbinar “Singularity”. Por ter sido durante tanto tempo o DJ residente do club londrino Trash, que também já recebeu shows de bandas como LCD Soundsystem e Bloc Party, e por ter remixado faixas de Hot Chip e Chemical Brothers, suas contribuições estavam entre as mais aguardadas entre os fãs gringos dos New Order. Todavia, seus “Stripped Remix” e “Extended Rework” não estariam, ao meu ver, entre os mehores remixes de “Singularity”. Não são ruins, todavia. Apenas ok. O “escorregão” fica por conta mesmo do “Liars Remix”: a banda nova-iorquina assinou um remix que, embora conserve grande parte dos elementos da gravação original, peca pela falta de imaginação. A tentativa de emular um som mais dark, como se quisessem prolongar a atmosfera soturna da introdução do mix oficial, soa estéril e fútil. Resumindo: esquecível (ele é uma espécie de bonus track na versão download do single, que pode ser obtida através de uma senha/código que acompanha a edição em vinil de 12″).

Por outro lado, quem curte techno vai viajar nos remixes de J. S. Zeiter, que também atende pelo nome de MCMLXV. Ele nos oferece seu “J. S. Zeiter Remix” (disponível na versão em CD) e sua contraparte predominantemente instrumental, “J. S. Zeiter Dub” (incluída no vinil). Não chegam a ser memoráveis, mas os considero melhores que os remixes do super-idolatrado Erol Alkan, principalmente a versão dub. Mas a “cereja do bolo” mesmo são as reinterpretações de Mark Reeder (“Duality Remix” e “Individual Remix”). Reeder merece mesmo um pouco mais de destaque aqui. Ele é um velho conhecido do New Order – na verdade, ele é um amigo próximo desde os tempos do Joy Division. Naquela época ele fazia parte de uma banda chamada Shark Vegas, mas ainda na década de 1980 ele se mudou para a Alemanha Ocidental, onde se tornou um representante da Factory Records e, também, produtor musical, DJ e dono da gravadora Mastermind for Success. É de Reeder e de outro DJ, o húngaro Corvin Dalek, a primeiríssima versão de “Crystal” (já com os vocais de Barney Sumner), que viria a se tornar um hit do New Order. Além disso, Reeder é a figura central do filme B-Movie: Lust and Luxury in West Berlin 1979-1989, que mistura imagens documentais e reconstituídas para traçar uma espécie de painel musical e cultural da outrora Berlim Ocidental, do punk à Love Parade, e que foi usado na montagem no vídeo promocional de “Singularity”.

O “Duality Remix” é surpreendentemente curto para os padrões de hoje – a versão disponível no CD está editada e possui 3’49”, enquanto que a gravação que acompanha o download tem 4’57”. Apesar da pequena duração, esse remix é um gigante. Seguramente, é o melhor de todos. Já o “Individual Remix” não é uma versão estendida do anterior. Pelo contrário, é um remix totalmente diferente, ainda que possua trechos e partes que remetam ao “Duality”. Trata-se de uma versão mais elaborada e complexa, mas peca justamente por dispensar a concisão e a perfeição objetiva da outra. Mesmo assim, é uma pérola.  Heil Mark Reeder!

Como bonus track, o CD e o 10 Track Audio Download (adquirido não apenas via código que acompanha o vinil, mas também através de download pago direto) trazem o remix de Tom Rowlands (Chemical Brothers) para “Tutti Frutti” e que havia sido disponibilizado para ser baixado de graça em dezembro do ano passado como “presente de Natal” para os fãs.

Para finalizar: a edição em vinil de 12″ de “Singularity” contém ainda um “brinde” um tanto quanto curioso. Trata-se de uma folha de papel branca impressa com um diagrama causal do buraco negro, acompanhado de um texto explicativo. De acordo com a astronomia, um buraco negro se forma quando uma estrela em colapso gravitacional desaba sua massa em direção ao seu próprio centro, tornando-se capaz de atrair ou “sugar” para o interior desse ponto toda matéria próxima. O buraco negro seria um exemplo de “singularidade gravitacional” (sacaram a conexão?). Observando com atenção o diagrama causal do buraco negro, se descobre com facilidade qual foi a inspiração do designer Peter Saville para a capa de “Singularity”.

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | Clipe completo e “pre-order” de “Singularity” já estão na rede

No post de ontem divulgamos o teaser do vídeo promocional de “Singularity” que o New Order havia liberado em suas redes sociais. Mas os fãs nem precisaram esperar muito pelo clipe completo: a banda e sua gravadora fizeram o lançamento oficial hoje em seus respectivos canais no You Tube e no Vimeo. Conforme havíamos dito antes, o vídeo de “Singularity” é uma colagem de imagens editadas do filme B-Movie: Sound & Lust in West Berlin, dirigido por Klaus Maek, Jörg Hoppe e Heiko Lange, além do que já vinha sendo usado pelo New Order no telão durante a execução ao vivo da faixa desde que a turnê do CD Music Complete começou em novembro do ano passado. Uma outra boa novidade é que depois de uns dias misteriosamente fora do ar, os links de acesso à pré-venda das edições físicas de “Singularity” reapareceram na lojinha virtual da Mute Records (www.mutebank.co.uk). O comprador pode optar por levar apenas o vinil 12″(roxo) ou o CD maxi single, ou ainda um bundle (pacote) com os dois mais um código/senha para baixar todos os remixes. A data de lançamento foi atualizada para o dia 25 de março. Vale ressaltar que a versão em CD incluirá o remix de Tom Rowlands para “Tutti Frutti” que havia sido disponibilizado de graça para download no ano passado, no Natal. Abaixo temos os tracklist completos:

PURPLE 12″ VINYL
Singularity (Extended Mix)
Singularity (Mark Reeder Individual Remix)
Singularity (Erol Alkan’s Extended Rework)
Singularity (JS Zeiter Dub)

CD MAXI SINGLE
Singularity (Single Edit)
Singularity (Extended Mix)
Singularity (Erol Alkan’s Stripped Remix)
Singularity (Mark Reeder Duality Remix)
Singularity (JS Zeiter Remix)
Tutti Frutti (Tom Rowland’s Remix)

DOWNLOAD (VIA CODE WITHIN THE 12″)
Singularity (Single Edit)
Singularity (Extended Mix)
Singularity (Erol Alkan’s Extended Rework)
Singularity (Erol Alkan’s Stripped Remix)
Singularity (Mark Reeder Duality Remix)
Singularity (Mark Reeder Individual Remix)
Singularity (JS Zeiter Remix)
Singularity (Liars Remix)
Tutti Frutti (Tom Rowland’s Remix)

VÍDEO:

New Order – Singularity (Official Video) from Mute on Vimeo.

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | Divulgado teaser do vídeo de “Singularity”

6123yxQVtsL._SL1500_

Capa do single “Singularity”.

A Mute Records e o New Order divulgaram em seus perfis oficiais nas redes sociais um teaser de quinze segundos do vídeo promocional de “Singularity”, terceiro single saído do álbum Music Complete, lançado em setembro do ano passado. O clipe completo trará imagens editadas do filme alemão B-Movie: Sound and Lust in West-Berlin, dirigido por Klaus Maek, Jörg Hoppe e Heiko Lange, sobre o qual já publicamos um post aqui no blog. Vale ressaltar que desde o início da atual turnê a banda vem usando um vídeo com base no filme no telão do palco durante as performances de “Singularity”. A versão extended da faixa foi lançada no formato digital single download no dia 03 de fevereiro, mas ela só verá a luz do dia em formatos físicos (CD e vinil de 12″ de cor roxa), com vários remixes, no dia 18 de março. Para refrescar a memória dos leitores: “Singularity” foi co-escrita e co-produzida em parceria com Tom Rowlands, dos Chemical Brothers, e foi a primeira canção inédita apresentada pela atual formação do New Order antes mesmo do álbum Music Complete sair: isso aconteceu em 2014, na edição chilena do festival Lollapalooza.

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | Pílulas (fevereiro 2016)

Nas nossas “pílulas” do mês de fevereiro trazemos duas notas para você, leitor e fã, continuar se atualizando sobre as últimas novidades do New Order ou em torno de tópicos relacionados à banda. Esperamos, uma vez mais, atingir nosso objetivo: informar e aumentar o fã-clube. Boa leitura.

  • Em meio a divulgação dos locais e das datas da mini turnê que acontecerá em março nos Estados Unidos, o New Order confirmou hoje em suas redes sociais que o próximo single saído do álbum Music Complete será mesmo “Singularity”. A data oficial de lançamento não foi confirmada, embora especula-se que seja durante o mês de março também, coincidindo então com a tour norteamericana. Enquanto isso, a banda liberou no seu canal oficial no You Tube um clipe de áudio da versão “Extended Mix” que fará parte do single e exibiu uma variação da capa, que, com exceção do fundo negro, possui cores diferentes daquela do vinil de 12″que aparece no catálogo de pré-venda da Amazon britânica (e que já mostramos aqui em outro post).
CaNF0eYWkAAb5Xy

Outra versão para o artwork da capa de “Singularity”

  • Na próxima sexta-feira, dia 05, será realizado no Bridgewater Hall, Manchester, a primeiríssima apresentação do espetáculo musical Haçienda Classical. Trata-se de uma proposta ousada: dois ex-DJs do mítico club Haçienda (que pertencia ao New Order e à Factory Records), Mike Pickering e Graeme Park, vão reviver em suas carrapetas o créme de la créme que sacudiu a pista de dança da legendária casa noturna acompanhados de uma orquestra ao vivo – a Manchester Camerata (a mesma que participou do single-tributo a Tony Wilson, falecido ex-dono da Factory, em agosto do ano passado). A dupla também contará com a participação de vocalistas convidados (não divulgados). Posteriormente esse show viajará pela Inglaterra até o mês de julho. Vale lembrar que possivelmente o ex-baixista do New Order, Peter Hook, está envolvido nessa empreitada, uma vez que ele tem o controle sobre o licenciamento da marca FAC 51 The Haçienda, e, ao lado de Pickering e Park, já foi curador de compilações de faixas que se tornaram clássicos da casa. Pickering, por sua vez, assinou a curadoria do CD Club, que é o disco #03 do box-set Retro, do New Order, e que se dedica apenas a remixes de faixas da banda.
Hacienda-Classical-flyer-smaller

Cartaz oficial da noite de estreia do Haçienda Classical

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | “Singularity” será o novo single

6123yxQVtsL._SL1500_ (1)

A capa do single “Singularity”, segundo a Amazon.

Assinantes da newsletter da Mute Records foram avisados nos últimos dias de que novidades sobre o terceiro single do New Order saído do álbum Music Complete viriam “em breve”. Mas, pelo visto, o site da Amazon norteamericana resolveu se antecipar – e já está anunciando para a pré-venda o vinil de 12 polegadas de “Singularity”, o sucessor de “Tutti Frutti”. A data oficial de lançamento, de acordo com a Amazon, será dia 18 de março – quase dois anos depois da canção ter sido apresentada ao vivo pela primeira vez em uma edição chilena do festival Lollapalooza.

“Singularity” foi escrita e produzida pelo New Order em parceria com Tom Rowlands, dos Chemical Brothers. Possivelmente, o novo single deverá seguir o mesmo conceito de marketing dos anteriores: antes do lançamento em formatos físicos (CD e vinil de 12″ colorido), certamente  ele deverá sair via streaming e digital music download nos próximos dias. Por enquanto, o tracklist divulgado pela Amazon é o do vinil, que inclui remixes de Erol Alkan e Mark Reeder.

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | New Order: influência e contribuição à música são celebradas em prêmio e novo site

0c21ef9a-5502-459f-b3e6-9a3e3b17952a-1360x2040O álbum Music Complete colocou o New Order novamente sob os holofotes. Hoje a banda foi um dos vencedores do “Q Awards 2015”, prêmio oferecido pela revista britânica Q Magazine. O New Order havia sido originalmente indicado para a categoria “Melhor Faixa Apresentada pela Absolute Radio” com a canção “Restless” (o primeiro single de Music Complete). Todavia, quem levou esse troféu foi The Libertines, com “Gunga Din”. Mesmo assim, o grupo não saiu da cerimônia de mãos vazias e teve sua importância reconhecida ao faturar o prêmio pela “Notável Contribuição à Música” – categoria similar, guardadas as devidas proporções, ao “Lifetime Achievement Award” do Grammy (Trad.: “Prêmio Pelo Conjunto da Obra”). Mas o reconhecimento à importância do New Order vem sendo demonstrado de várias outras maneiras. Hoje também foi lançado um novo site chamado Singularity: The Influence of New Order. Nele, artistas influenciados pelo N.O. relatam o significado da banda em suas vidas e publicam alguma produção pessoal relacionada com a banda. O Hot Chip, por exemplo, publicou, na íntegra, seu remix para “Tutti Frutti”, faixa escolhida para ser o segundo single de Music Complete; a dupla Factory Floor fez o upload do trecho de uma sessão de gravação feita com Stephen Morris; o ilustrador Will Broome exibe seu “urso” com olhos arregalados que remetem à capa de “Blue Monday 1988”; a banda norteamericana de post-rock Algiers deixou seu relato por escrito sobre como foi seu primeiro contato com a música do New Order; e o decano do post-punk inglês Robert Smith, a voz do Cure, montou uma mixtape com suas canções favoritas do grupo que outrora se chamou Joy Division (dentre elas “Dreams Never End”, faixa cuja linha de baixo teria sido copiada pelo próprio Cure em “In Between Days”).

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

Agora também no Fotolog:
http://www.fotolog.com/fac553 fotolog-logo

NEWS | BBC6 apresentou versão de estúdio de “Singularity”

puzzleFaltando apenas quatro dias para o lançamento de Music Complete, o décimo álbum de estúdio do New Order, e há apenas cinco após a banda ter divulgado o que poderá vir a ser o segundo single (“Plastic”), o programa de Shaun Keaveny na Radio 6 da BBC divulgou, na íntegra, mais uma faixa do novo CD: “Singularity”. Produzida por Tom Rowlands, um dos integrantes da dupla The Chemical Brothers, a canção não é exatamente inédita – ela foi mostrada em primeira mão durante a passagem da banda pela América do Sul no primeiro semestre do ano passado e chegou a ter o nome erroneamente divulgado como “Drop the Guitar”. Quem não quiser esperar para ouvir, nós damos uma mãozinha.

PLAY → New Order / Singularity [BBC 6 Radio Broadcast] ©

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | Novas pistas do primeiro single de “Music Complete” (ou não)

IMG-20150721-WA0000Deve ser assim até o dia 25 de setembro: a cada semana os fãs receberão nada menos que uma migalha de informação para saciar a fome até o dia de lançamento de Music Complete, o décimo álbum de estúdio do New Order (o primeiro sem o baixista e membro fundador Peter Hook, remanescente do Joy Division, mas também o primeiro com Gillian Gilbert de volta desde que ela se afastou do grupo em 2001). Desta vez “escapuliu” alguma coisa sobre o single de estreia do novo disco. Enquanto os fãs apostavam em “Singularity”, a banda manteve silêncio sobre esse assunto. Todavia, além de ter aparecido a suposta capa da primeira faixa de trabalho (foto ao lado), que segue, inclusive, o estilo Mondrian/Tudor do projeto gráfico de Music Complete, conforme comentamos no post anterior, hoje o designer alemão Andreas Croonenbroek, da AFCdesign, publicou no Facebook um comentário sobre a faixa “Restless” que diz o seguinte:

“O que eu posso dizer é que é uma peça de guitarra alegre, cativante, com um toque orquestral… New Order clássico, mas ainda renovado. O fragmento de sete segundos que o NO postou algumas semanas atrás é a introdução dela…”.

IMG-20150721-WA0006

Vale lembrar que Croonenbroek foi o responsável pela direção de arte, design e fotografia de Community 2, disco-tributo ao New Order organizado e produzido por fãs através do site NewOrderOnLine e lançado em outubro de 2006. Agora tudo que o resta saber é se “Restless” será mesmo o primeiro single de Music Complete e se a capa será mesmo a que supostamente teria “vazado” hoje.