PÍLULAS | Da nova caixa (japonesa) do New Order aos 36 anos da morte de Ian Curtis

Aqui no blog não abrimos mão das “rapidinhas”… Quem não gosta, não é mesmo?

  • A Traffic Records, selo que atualmente representa o New Order para a Mute Records no Japão, finalmente liberou fotos da edição Wrapping Cloth Box Set do álbum Music Complete. Para quem não sabe do que estamos falando, trata-se de uma caixa feita sob medida para os colecionadores e que inclui o Music Complete em cassete (não, você não leu errado!) e três CDs singles, “Restless”, “Tutti Frutti” (uma edição exclusiva com o “Takkyu Ishino Remix”) e “Singularity”. A caixinha, feita no formato clamshell, vem embalada com uma famosa técnica japonesa de embrulho em tecido chamada furoshiki. O pano que cobre a caixa vem estampado com a mesma arte da capa do disco, criada por Peter Saville e Paul Hetherington. Será um mimo para poucos: é uma edição limitada produzida especialmente para a visita do New Order ao Japão este mês. Algumas unidades serão vendidas na banquinha de merchandise no local das duas apresentações marcadas (dias 25 e 27, no Shinkiba Studio Coast), por “módicos”‎ ¥ 6.000 (algo em torno de R$ 193 pelo câmbio de hoje); outras poucas estarão disponíveis em um sorteio no dia 26 na loja da Tower Records em Shibuya, onde o New Order conversará com fãs sortudos que conseguirem um convite. Um passarinho já me contou que uma dessas no eBay não vai sair por menos de £ 120 (a fortuna de R$ 624). Olhando as fotos, é impossível não querer ter um box desses, mesmo sem ter onde tocar a fitinha cassete. E precisa?
  • Do outro lado do Atlântico, se não for dia 19 de maio, é quase… Mas aqui ainda é dia 18 e faz 36 anos que Ian Curtis, a voz do Joy Division, cometeu suicídio – e mudou a história dos colegas Bernard Sumner, Stephen Morris e Peter Hook. Fotos dele pipocaram no Instagram o dia inteiro, sempre acompanhadas de legendas impregnadas daquele tom de solenidade, ou com clichês do tipo “Rest In Peace” ou “always missed”… Se, a partir da tragédia, não tivesse acontecido uma outra e bem sucedida história – a transformação do Joy Division em uma outra banda muito boa e influente, o New Order, além da conquista do merecido sucesso, talvez eu sentisse realmente falta do velho Ian. Não sou o único que pensa assim. Abaixo, a conversa que rolou hoje no grupo do New Order Brasil no WhatsApp:

IMG_7613 (1)IMG_7614IMG_7615

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

Anúncios

NEWS | Pílulas (11 de março de 2016)

Trago hoje mais algumas novidades em pequenas doses para os fãs e admiradores do New Order. Desta vez, falaremos do começo da mini-turnê da banda pelos Estados Unidos, de uma exposição, no Rio de Janeiro, de pôsteres originais de bandas pós-punk e new wave (incluindo Joy Division e New Order) e de uma má notícia para os completists. Então vamos lá…

  • O New Order abriu ontem sua turnê de um mês pelos Estados Unidos com uma apresentação em Nova Iorque. O show foi no luxuoso e reverenciado Radio City Music Hall, um ícone da cidade. O concerto surpreendeu em alguns aspectos: em termos visuais, os telões e a iluminação interagiram bem com a arquitetura da sala de espetáculos, proporcionando ao público uma experiência estética talvez inédita em toda carreira do New Order; no que diz respeito à parte musical, além da excelente “Academic”, que foi tocada pela primeira vez (seria uma pista de que esse poderá vir a ser o quarto single saído do álbum Music Complete), “Blue Monday”, clássico dos clássicos, ficou de fora (algo que não acontecia há anos). Fora essas mudanças, o repertório não foge muito daquele que vem sendo tocado desde o começo da turnê de divulgação de Music Complete. Eis o set list completo: Singularity; Ceremony; Academic; Crystal; 5-8-6; Restless; Your Silent Face; Tutti Frutti; People On the High Line; Bizarre Love Triangle; Waiting for the Sirens’Call; Plastic; The Perfect Kiss; True Faith; Temptation; Atmosphere (encore); Love Will Tear Us Apart (encore).
new-order-rcmh2

New Order no Radio City Music Hall, Nova Iorque

  • De um ícone de Nova Iorque para um ícone da Zona Norte Carioca, o bom e velho Cine Imperator, no bairro do Méier, hoje transformado em centro cultural com sala de espetáculos, sala de exposições, cinema e um bistrô (meia boca). Lá está rolando a exposição “80/80: Oitenta Posters dos Anos Oitenta”, uma mostra de pôsteres promocionais originais de bandas de pós-punk e new wave que fazem parte da coleção particular de uma verdadeira entidade da música alternativa no Rio de Janeiro e que teve um papel fundamental na minha “educação musical” e na de muita gente também: o DJ José Roberto Mahr, o criador e apresentador do antológico programa de rádio “Novas Tendências”. A curadoria, isto é, a escolha dos oitenta pôsteres, ficou a cargo de Alessandro Alr, responsável pelo projeto Maldita 3.0 – Rádio Fluminense. Eu estive lá para conferir – e procurar por pôsteres do New Order e do Joy Division. Os encontrei, é claro. Mas encontrei também Siouxsie & The Banshees, The Jesus and Mary Chain, PiL, Front 242, Depeche Mode, Smiths, Talking Heads, Bigod, Nitzer Ebb, The Jam, Echo & The Bunnymen, Cure, Finis Africae, Cocteau Twins e muitos outros. Foi uma volta no tempo. Fãs de A-Ha, Pet Shop Boys e Dire Straits, não se dêem o trabalho de ir, ok?
  • A má notícia é que a edição japonesa do vinil de 12″ do single “Tutti Frutti”, que traria no lado B um remix do Takkyu Ishino, teve seu lançamento adiado em mais alguns dias. A promessa é que ainda saia este mês, mas a nova data, divulgada pela Amazon japonesa aos clientes que o compraram na pré-venda, é dia 30 de março. O jeito, caros colecionadores, é esperar.

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram

NEWS | “Tutti Frutti” ganhará edição japonesa exclusiva

2016-03-12jmute542-amazon

Capa da edição japonesa de “Tutti Frutti”

O mercado fonográfico japonês sempre oferece aquele “algo mais” que deixa os fãs de música popular no Ocidente de olho grande. Os seguidores do New Order que o digam. Três exemplos: em 2001 saiu na Terra do Sol Nascente um EP com “Crystal” e quatro faixas gravadas ao vivo no Reading Festival de 1998; em 2005 a edição nipônica de Waiting for the Sirens’ Call tinha uma versão de “Krafty” cantada em japonês como faixa bônus; e no ano passado, o último álbum, Music Complete, tinha como extra na edição japonesa uma versão estendida de “Restless”. Desta vez, o single “Tutti Frutti”, o segundo saído de Music Complete, será lançado em vinil de 12 polegadas no Japão, mas em uma versão diferente: além da capa ser azul (em vez de amarela, como na edição inglesa), a bolacha terá no lado B um remix do músico e produtor Takkyu Ishino (o lado A é o mesmo, o “Extended Mix”). Ishino é também integrante de uma banda de synthpop chamada Denki Groove. A data programada para o lançamento é 16 de março, mas o vinil já está disponível para pré-venda no site da Amazon japonesa. Enquanto isso streaming do remix de Takkyu Ishino encontra-se liberado em sua página no Soundcloud – confiram logo abaixo.

takkyuishino

Takkyu Ishinu

Visite também nosso Instagram:
http://instagram.com/neworderbrfac553 Instagram